Novidades do setor de energia

Entenda o que é considerado no cálculo do preço da energia elétrica industrial

Quais fatores influenciam o preço da energia elétrica industrial?

A conta de luz é uma das principais despesas de uma indústria, por isso entender quais fatores têm impacto sobre o preço da energia elétrica industrial pode fazer a diferença para o orçamento do seu negócio.

Para começar, é preciso explicar que o setor energético brasileiro está segmentado em dois “ambientes”:

  • Ambiente de Contratação Regulada (ACR): formado por consumidores cativos que têm acesso à energia com tarifas estabelecidas pelo governo e pagam mensalmente pelo serviço de distribuição e de geração de energia;
  • Ambiente de Contratação Livre (ACL): são os consumidores livres que negociam energia no Mercado Livre de Energia e podem encontrar preços melhores do que os normalmente disponíveis no ambiente regulado.

No ACR, o preço é definido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), enquanto no ACL existe a possibilidade de negociar valores e condições de pagamento de acordo com a geradora ou comercializadora.

No caso da cobrança feita pela ANEEL, considera-se a inflação e os custos e investimentos das distribuidoras.

Além disso, por conta das bandeiras tarifárias, o valor da conta de luz oscila mês a mês dentro de valores pré-determinados e de acordo com a necessidade de uso de usinas termelétricas.

Entenda aqui as diferenças entre ACR e ACL na compra de energia.

É válido esclarecer também que no ACR existem diferentes classes de consumo e o preço da energia elétrica varia em cada uma delas: residencial, industrial, comercial, rural e de poder público.

Além disso, as tarifas são divididas em dois grupos:

  • Grupo A: média e alta tensão, e também sistemas subterrâneos. Nesse grupo existem as cobranças “horário ponta” e “horário fora ponta” e as tarifas “horária azul” e “horária verde”;
  • Grupo B: baixa tensão, residencial, rural, iluminação pública e demais classes. Aqui também existem duas tarifas: “convencional monômia”, o que significa que a cobrança é a mesma independentemente do horário do dia em que for utilizada, ou “horária branca”, na qual a tarifa muda conforme o horário de utilização do dia.

Fatores que influenciam o preço da energia elétrica industrial

Horário ponta e fora ponta

Esses conceitos estão relacionados à demanda e ao consumo. Demanda é a potência de energia necessária para atender ao consumo em determinados períodos do dia, ou seja, a capacidade do sistema elétrico. Tal potência normalmente é medida em kW (quilowatt) ou MW (megawatt).

Já o consumo é a quantidade utilizada, sendo medido em kWh (quilowatt-hora) ou MWh (megawatt-hora). Uma conta de energia tradicional é o acumulado de consumo energético ao longo de um mês inteiro.

Tais horários precisam existir pois em determinados períodos do ano (ou até mesmo ao longo de apenas um dia), a demanda e o consumo de energia podem variar e passar por picos e baixas.

Dessa forma, cobranças diferentes são realizadas de acordo com essas oscilações, as chamadas “tarifas horosazonais”, pois justamente têm como referência a necessidade energética em períodos específicos do dia ou do ano.

Então, as diferenças entre essas tarifas são:

  • Horário ponta: período de três horas consecutivas que normalmente ocorre das 18h às 21h, exceto aos sábados, domingos e feriados. Esse é um período com alta demanda e consumo, de modo que pode ocorrer uma cobrança triplicada de energia, que tem como objetivo estimular a queda do pico e, assim, não sobrecarregar as linhas de transmissão;
  • Horário fora ponta: todas as demais horas do dia além do período ponta. A determinação desse intervalo varia de acordo com a concessionária, mas normalmente é das 0h às 17h59 e das 21h às 23h59.

Aqui você confere um artigo completo sobre as diferenças entre horário ponta e horário fora ponta.

O que são as tarifas azul e verde

Os consumidores do grupo A, que são os de alta tensão, podem escolher qual tipo de tarifa preferem, a tarifa azul ou a tarifa verde. Dessa forma, diferentes perfis de consumo de empresas podem se encaixar melhor nas políticas de preços regulamentadas pela ANEEL.

Veja o que muda de uma para outra:

  • Tarifa azul: a tarifa tem dois valores diferentes de demanda de potência de acordo com o horário ponta e o horário fora ponta;
  • Tarifa verde: os valores de consumo podem ser ou não diferentes no horário ponta e horário fora ponta, mas a cobrança pela demanda de potência é única e o preço de transporte na ponta é maior. 

É importante entender esses aspectos pois o preço da energia elétrica industrial varia de acordo com essas diferenciações. 

Além disso, cada estado do Brasil e suas respectivas cidades têm diferentes geradoras e distribuidoras de energia, de modo que o valor pode mudar de um lugar para outro, inclusive no decorrer dos meses, dependendo da incidência das bandeiras tarifárias, por exemplo.

Como calcular o consumo de energia elétrica empresarial

O preço da energia elétrica industrial, que também pode ser chamado de tarifa elétrica (TE) é estabelecido pelas concessionárias de energia. Além disso, as indústrias fazem parte do grupo A, o que significa que o preço do kwh pode ter quatro variações:

  • Preço na tarifa verde no horário ponta 
  • Preço na tarifa verde no horário fora ponta
  • Preço na tarifa azul no horário ponta
  • Preço na tarifa azul no horário fora ponta

Por isso, aqui vamos explicar como você pode calcular o consumo de energia da sua empresa, mas o valor da TE você deverá consultar diretamente na sua fornecedora de energia, pois o preço pode ser diferente de acordo com a sua contratação de energia e também depende de qual cidade do país sua indústria está. 

Para calcular o valor é preciso multiplicar o consumo de energia no período faturado (normalmente apresentado nas faturas de energia na unidade de kWh) pela soma das tarifas de energia (TE) e de uso do sistema de distribuição (TUSD), de acordo com o posto tarifário (consumo ponta e consumo fora ponta). 

O mesmo é utilizado para o cálculo de consumo de demanda: multiplica-se a demanda contratada (ou registrada) pelo valor da tarifa de uso do sistema de distribuição (TUSD), também de acordo com o posto tarifário (ponta e/ou fora ponta).

Aqui você confere um artigo completo sobre como calcular o consumo de energia e qual a importância de saber fazer essa análise.

Ao fazer esses cálculos, você pode se surpreender com os custos elevados da sua conta de luz, bem como com o preço da energia elétrica industrial.

Por isso, uma alternativa para você reduzir significativamente essa despesa é considerar a migração para o Mercado Livre de Energia.

Por que considerar migrar para o Mercado Livre de Energia

O Mercado Livre de Energia faz parte do Ambiente de Contratação Livre (ACL), como mostramos no começo deste artigo.

Nele, os consumidores livres podem negociar preço, prazo, volume e forma de pagamento direto com as empresas geradoras ou comercializadoras de energia elétrica. 

Dessa forma, é possível contratar a energia com melhores condições e, assim, conseguir preços inferiores aos estabelecidos no ACR, sendo possível alcançar até 35% de redução de custos com energia elétrica.

Para fazer a migração é ideal contar com o apoio de uma empresa especializada no processo. A Esfera Energia, por exemplo, é uma empresa que realiza uma consultoria completa para ajudar os clientes a migrarem para o Mercado Livre de Energia.

Fornecemos toda a assistência necessária para o cumprimento das obrigações legais e também atuamos nas negociações para garantir as melhores condições possíveis na contratação de energia. 

Além disso, você também conta com o hud, nossa plataforma com todos os dados sobre consumo, performance, preço e insights de mercado para você acompanhar todas as informações sobre a sua contratação e ter mais eficiência para gerenciar sua energia elétrica industrial.

Conheça o hud, plataforma da Esfera Energia para gestão de energia elétrica

Ficou interessado em nossas soluções? Fale com um de nossos especialistas e veja como podemos ajudar sua empresa a obter o melhor preço de energia elétrica industrial.

Saiba tudo sobre o Mercado Livre de Energia