Novidades do setor de energia

pne-2050

O que é o PNE 2050? Entenda a importância e as diretrizes do plano

O PNE 2050 é o Plano Nacional de Energia feito pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) baseado nas diretrizes do Ministério de Minas e Energia (MME) com o objetivo de apresentar a estratégia para o uso e expansão em longo prazo dos recursos energéticos do país.

As novas recomendações e diretrizes do Plano Nacional de Energia foram aprovadas em dezembro de 2020 pelo atual ministro do MME, Bento Albuquerque.

O plano anterior a esse foi o PNE 2030, lançado em 2007, que vamos falar mais adiante.

Analisar e ter uma visão para o futuro sobre as fontes de energia permite não só criar políticas sustentáveis para o uso, mas também utilizá-las de forma inovadora.

E esse é o propósito do Plano Nacional de Energia, guiar o país por meio de práticas que aproveitem ao máximo as fontes tradicionais e investir em outras tendências como formas de energia renováveis e mais limpas.

Quer saber mais sobre o PNE 2050 e quais são as diretrizes do plano? Continue lendo e entenda!

O que é o Plano Nacional de Energia?

O Plano Nacional de Energia ou PNE 2050 é um documento onde estão traçadas as principais metas para o uso das fontes de energia do país.

A energia é um fator essencial para o desenvolvimento socioeconômico do Brasil. Não só as fábricas e empresas, mas também escolas e universidades e centros de pesquisa dependem de energia para funcionar.

Dessa forma, é estratégico que um país elabore um plano que oriente a criação de boas práticas para que os recursos energéticos não se esgotem e sejam melhor aproveitados.

Além disso, é essencial que a energia seja bem distribuída e chegue a todos os pontos do país, permitindo um desenvolvimento igualitário.

O PNE 2050 atualizou as metas do governo para o setor de energia com ações que devem ser realizadas até o ano de 2050.

No lançamento do plano, o ministro Bento Albuquerque explicou que para acompanhar melhor as diretrizes, o PNE 2050 passará por uma revisão para aperfeiçoamento a cada cinco anos.

Como exemplo, ele destacou que as fontes renováveis têm crescido sobremaneira. “No plano anterior, em 2005, não se falava nem de (energia) eólica e solar. Essas fontes já representam mais de 10% da matriz”, destacou o ministro.

etapas-pne-2050
Fonte: Relatório final PNE 2050.

Qual o objetivo do PNE 2050?

Para criar propostas que vão se desenvolver ao longo dos próximos 30 anos, o estudo para preparar o PNE 2050 se baseou em cenários possíveis para o setor energético.

Então, o objetivo do plano foca na apresentação de soluções realizáveis para antecipar demandas que vão surgir ao longo do tempo.

Dessa forma, ao invés de esperar que um evento ocorra, o PNE 2050 já analisou e propôs meios para conduzir mudanças que podem impactar o dia a dia da população em relação ao uso da energia.

Essas ações serão implementadas ao longo dos anos por meio de programas e políticas governamentais que padronizam as regras nacionais e ajudam a incentivar a conscientização sobre os recursos de energia existentes.  

Estrutura do Plano Nacional de Energia 2050

Um dos principais cenários que passaram pela análise do PNE 2050 é o aumento da demanda crescente por energia.

A necessidade de energia pode subir 2,15 vezes e quando se trata da demanda de energia elétrica especificamente, a estimativa de crescimento é de 3,3 vezes.

Para lidar com esse fato, o PNE traçou dois cenários de ação:

1. o cenário Desafio da Expansão: determinado como aquele em que os responsáveis pelo setor de energia assumem a tarefa de criar uma estratégia para o setor lidar com a expansão significativa da demanda por energia. 

2. o cenário de Estagnação: o foco está na evolução da matriz energética em um contexto onde o crescimento é menor, por isso, com menos foco no quesito expansão. O crescimento projetado nesse caso é de, em média, 10% ao longo de 30 anos.

cenários-pne-2050
Fonte: Relatório final PNE 2050.

Considerando os cenários acima, o PNE 2050 analisa o que chama de Questões Transversais que incluem pontos que se conectam em relação ao consumo e produção de energia. São elas:

  • Economia do compartilhamento;
  • Comportamento do consumidor;
  • Descentralização;
  • Descarbonização;
  • Mudanças climáticas;
  • Transição energética;
  • Integração Energética Sul-Americana;
  • Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação;
  • Digitalização na produção e uso de energia.

Em seguida, são analisadas as principais Fontes e Tecnologias energéticas que vão ser mais utilizadas nos até o final do PNE 2050:

Por fim, o PNE 2050 descreve a Infraestrutura de Transporte de Energia que são os meios de distribuição das diferentes fontes para que elas cheguem aos locais necessários e sejam utilizadas:

  • Transmissão de eletricidade;
  • Malha de Gasodutos;
  • Segmentos de consumo;
  • Transportes;
  • Indústria;
  • Edificações.

Para cada um dos pontos acima foram traçadas diretrizes para que os diferentes recursos sejam bem aproveitados e distribuídos pelo país.

Quais são as diretrizes do Plano Nacional de Energia 2050?

As principais diretrizes estratégicas do Plano Nacional de Energia 2050 são:

  • continuar com o foco no setor energético renovável; 
  • criar soluções de baixo carbono para a transição energética; 
  • manter as emissões do parque termelétrico a carvão ao nível atual; 
  • conduzir um trabalho de recuperação energética de resíduos sólidos urbanos (RSU) e da agropecuária; 
  • utilizar os recursos do petróleo, expandindo a exportação; 
  • implementar a eletrificação no setor de transportes; 
  • investir em bioenergia e biotecnologia; 
  • construir novas usinas nucleares; 
  • estruturar a integração das fontes eólica e solar fotovoltaica no sistema elétrico; 
  • estimular o desenvolvimento do mercado de gás natural
  • continuar o aproveitamento dos recursos hidrelétricos, incluindo as Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs); 
  • trabalhar o foco em eficiência energética;
  • aumentar e atualizar os ativos de transmissão; 
  • trocar a geração a diesel em sistemas isolados e modernizar o parque hidrelétrico existente.

Para ver as diretrizes completas do PNE 2050, confira o Relatório Final do Plano Nacional de Energia.

O que é o PNE 2030?

O que acabamos de ver é o direcionamento atual do PNE 2050, mas o planejamento anterior está quase chegando ao seu final.

O PNE 2030, lançado em 2007, foi um estudo pioneiro na época por considerar a análise em longo prazo dos recursos energéticos do país.  

Dois pontos do estudo anterior se destacam:  

  • a abordagem macro do setor energético sob o ponto de vista do planejamento integrado de recursos;
  • a participação da sociedade (o MME promoveu nove seminários com especialistas de centros de pesquisa, de entidades do setor de energia e de universidades).

Foi a partir do PNE 2030 que questões consolidadas hoje começaram a ser trabalhadas no Brasil.

A primeira é o foco em maior eficiência energética e a segunda, as considerações sobre as questões socioambientais.

O PNE 2030 começou o caminho no qual o PNE 2050 se desenvolve hoje, contribuindo para a recuperação energética do país de crises em relação ao abastecimento e consumo de energia das décadas anteriores.

Entendeu a importância do PNE 2050 para o futuro?

A eficiência energética de um país depende de iniciativas e políticas públicas claras como as do PNE 2050.

Essas diretrizes têm impacto direto na economia e no dia a dia das empresas e de indústrias que buscam novas formas de energia para manter suas operações.

Sua empresa está buscando alternativas de fontes de energia para controlar melhor os gastos?

A Esfera Energia é uma empresa que realiza a consultoria completa para ajudar seus clientes a migrarem para o Mercado Livre de Energia.

Fazemos a contratação de energia sob medida para seu negócio e operamos em conformidade com as normas da CCEE e ONS. 

Ficou interessado? Converse com um de nossos especialistas!

Saiba tudo sobre o Mercado Livre de Energia