Novidades do setor de energia

Aprenda como vender energia no Mercado Livre

Descubra como vender energia no Mercado Livre em etapas simples

Tanto se fala em compra e venda de energia, mas, afinal, como vender energia no Mercado Livre? Essa dúvida pode surgir para quem está começando a entender as novas formas de negociação existentes no Brasil em relação à energia, e aqui vamos te ajudar a entender isso. 

Porém, antes de começar, é preciso relembrar alguns pontos importantes sobre o Mercado Livre de Energia. Ele permite que os consumidores negociem preços, prazos, volume e forma de pagamento diretamente com os geradores ou comercializadores de energia elétrica no país, sem que haja a intermediação de um distribuidor. 

Aqui você confere qual é o potencial de crescimento do Mercado Livre de Energia.

Isso proporciona aos consumidores mais liberdade para escolher um fornecedor com tarifas mais atrativas do que as tradicionalmente reguladas pelo governo. Além disso, essas negociações são possíveis porque hoje o mercado de energia elétrica no Brasil é separado em dois “ambientes”:

  • Ambiente de Contratação Regulada (ACR): formado por consumidores cativos que têm acesso à energia com tarifas estabelecidas pelo governo e pagam mensalmente pelo serviço de distribuição e de geração de energia. Hoje representa cerca de 70% da energia comercializada no país;
  • Ambiente de Contratação Livre (ACL): são os consumidores livres que negociam energia no Mercado Livre de Energia e podem encontrar preços melhores do que os normalmente disponíveis no ACR.

Agora ficará mais fácil entender como vender energia no Mercado Livre. A seguir explicaremos o que é preciso saber para fazer uma negociação, mostraremos quais são os requisitos mínimos necessários para entrar no Mercado Livre e também qual a importância de se ter um agente comercializador. Continue lendo. 

Como vender energia no Mercado Livre

Uma das grandes vantagens de vender energia no Mercado Livre é a possibilidade de negociação da energia excedente, desde que haja a autorização da ANEEL para que isso seja feito. 

Ao comprar energia, pode acontecer de o consumidor fazer estimativas que nem sempre irão corresponder ao que de fato será utilizado. Isso significa que a energia que não foi usada pode ser comercializada para outros agentes do Mercado Livre, de modo que todas as partes acabam beneficiadas por isso. 

Além disso, como explicamos anteriormente, aqueles que estão no ACL podem vender e comprar energia diretamente dos fornecedores e comercializadores, sem que haja a necessidade da intermediação de uma distribuidora. 

Isso ocorre por meio da existência de contratos bilaterais e tem valores, prazos e volumes negociados de forma individual. No ambiente livre, os contratos de fornecimento de energia podem ter, no máximo, cinco anos, enquanto no ambiente regulado é possível ter contratos com prazos de até 30 anos.

Requisitos para entrar no Mercado Livre

Para participar do Mercado Livre é preciso atender a alguns requisitos mínimos. O primeiro deles é fazer parte da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e se enquadrar em algumas das categorias abaixo:

  • Consumidor Livre: tem uma demanda mínima de 1.500 kW e pode escolher o fornecedor de energia elétrica por meio de livre negociação;
  • Consumidor Especial: tem uma demanda entre 500 kW e 1,5MW, podendo adquirir energia de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) ou de fontes renováveis como  eólica, biomassa ou solar;
  • Comunhão: caso a empresa não tenha demanda suficiente para conseguir entrar no Mercado Livre, é possível fazer uma “comunhão” com outras unidades consumidoras para atingir o mínimo necessário de 500 kW. Porém, isso apenas é válido para consumidores com o mesmo CNPJ ou localizados em áreas que não são separadas por vias públicas.

Entenda aqui sobre a comunhão de cargas no Mercado Livre.

Para fins de comparação, um transformador de rua comum que atende a diversas residências tem uma capacidade de cerca de 75 kW. Isso significa que, por enquanto, apenas empresas com uma alta demanda de energia conseguem entrar no Mercado Livre para negociar energia.

De qualquer maneira, isso já está transformando a forma como se compra e consome energia no país, então é cada vez mais importante entender como as negociações no Mercado Livre funcionam para estar preparado para as mudanças que estão por vir.

Nesse sentido, está tramitando no Senado Federal um projeto de lei que propõe a abertura do Mercado Livre de Energia para todos os consumidores. Entenda aqui a proposta.

Importância de uma empresa gestora

Sendo um agente da CCEE e estando no Mercado Livre, o próximo passo para que seja possível vender energia no Mercado Livre é ter uma empresa gestora, a qual irá realizar as operações de acordo com as necessidades dos clientes.

A gestora irá entender quais são suas respectivas demandas para oferecer a eles as melhores opções disponíveis no mercado. Além disso, é seu papel também atuar como uma facilitadora de todas as documentações necessárias para que a operação aconteça. 

Para fazer a melhor negociação de venda, é preciso que a gestora entenda com seu cliente quanto a empresa pretende gerar de economia a longo prazo, para que assim a venda traga os melhores resultados de acordo com aquilo que foi previamente acordado. 

Agora que você já sabe como vender energia no mercado livre, para dar andamento a isso é recomendável ter o apoio de uma consultoria especializada que possa fazer um acompanhamento de todo o processo de negociação. 

A Esfera Energia apoia empresas que desejam entrar no Mercado Livre de Energia e realiza todo o processo burocrático com assertividade e eficiência, tendo como foco os ganhos que serão gerados para seus clientes.

Além disso, a Esfera também oferece soluções para otimizar a previsão de custos e a gestão da contratação de energia, e trabalha constantemente para adotar novas tecnologias que rentabilizem as operações das empresas.

Para saber mais, fale com um de nossos especialistas!

Saiba tudo sobre o Mercado Livre de Energia