Novidades do setor de energia

bandeiras tarifarias

Como funcionam as bandeiras tarifárias?

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015, pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) com a finalidade de informar o consumidor quando a energia estará mais cara ou mais barata. Elas sinalizam o custo dessa energia, considerando um valor mais alto conforme as condições para sua geração.

Atualmente no Brasil existem diversas formas de gerar energia como solar, biomassa, eólica e outras. Porém, a energia mais barata é gerada nas hidrelétricas que dependem do nível de água nos reservatórios para a geração de energia, este ocasionado pelas chuvas. 

Os períodos de chuvas são suficientes para abastecer as hidrelétricas de grande parte do país, fazendo com que a energia fique mais barata. No entanto, nos períodos de seca, é necessário acionar as usinas termelétricas que possuem uma geração de energia mais cara. Este aumento no custo de geração é repassado ao consumidor cativo através das bandeiras. 

Tipos de Bandeiras

São 3 bandeiras diferentes:

Bandeira Verde: Significa que as condições estão boas para a geração de energia, logo os custos são reduzidos. Não implica em nenhum acréscimo na conta de luz.

Bandeira Amarela: As condições de geração da energia estão menos favoráveis, com custo um pouco mais alto. A tarifa sofre acréscimo de R$ 1,50 para cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos.

Bandeira Vermelha – Patamar 1: Condições de geração da energia com custos mais altos. A tarifa sofre acréscimo de R$ 4,00 para cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos.

Bandeira Vermelha – Patamar 2: Condições de geração da energia com custos ainda mais altos. A tarifa sofre acréscimo de R$ 6,00 para cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos.

A definição das bandeiras é a mesma para o Brasil inteiro?

Não, as bandeiras são definidas divididas por subsistemas, conforme a região. Temos 4 subsistemas no Brasil:

  • Sudeste/Centro-Oeste (SE/CO)

Regiões Sudeste, Centro-Oeste, Acre e Rondônia

  • Sul (S)

Região Sul

  • Nordeste (NE)

Região Nordeste, com exceção do Maranhão 

  • Norte (N)

Pará, Tocantins e Maranhão

Quem é afetado pelo sistema das bandeiras tarifárias?

O sistema de bandeira tarifária é aplicado para os consumidores do Mercado Cativo que são atendidos pelas distribuidoras, exceto aqueles que estão localizados em sistemas isolados. 

As bandeiras tarifárias no Mercado Livre de Energia

Como os contratos de energia do Mercado Livre são negociados bilateralmente entre consumidores e geradores, os consumidores livres não são afetados por esses acréscimos na cobrança, ou seja, não ficam expostos às condições de geração de energia. Isso contribui para uma maior previsibilidade de custos e controle orçamentário.

Além de não sofrer impactos com as alterações das bandeiras tarifárias, o Mercado Livre oferece muitos benefícios para o consumidor, como:

Poder de escolha e flexibilidade

O consumidor poderá optar por comprar a energia mais atrativa para sua demanda e momento, podendo optar também por fontes sustentáveis.

Menores custos e desperdícios

Além de poder escolher a melhor energia para contratação, o consumidor livre também pode evitar desperdícios de energia vendendo o excedente que não foi utilizado. 

Mais facilidade na gestão energética

Através de um  único contrato de energia para matriz e filiais é possível distribuir a energia contratada entre todas as unidades consumidoras, tornando mais simples a distribuição de energia de acordo com o consumo ideal de cada unidade.

Não perca nenhum post

Cadastre-se e receba nossas notícias por e-mail