Novidades do setor de energia

O que é energia hidráulica

O que é energia hidráulica e como funciona a principal fonte energética do Brasil?

Todo mundo aprende ainda na escola o que é energia hidráulica. Também chamada de energia hídrica, é toda energia obtida pela força da movimentação da água corrente ou em desníveis acentuados e que se consolidou como um dos métodos mais usados para gerar eletricidade.

Mas agora, passados tantos anos, quem realmente se lembra como funciona e como é gerada a energia hidráulica? Caso tenha esquecido, esse post é pra você – ainda mais se quiser entender como tudo isso impacta nos preços do Mercado Livre de Energia.

Nas próximas linhas você saberá quais são as vantagens e desvantagens da energia hidráulica e entenderá melhor sua importância dentro da matriz energética brasileira. Boa leitura!

O que é energia hidráulica?

A energia hidráulica é obtida pelo aproveitamento do potencial gravitacional da água corrente e de quedas d`água. Quando é usada para gerar eletricidade passa a ser chamada de energia hidrelétrica.

Devido ao seu enorme potencial hídrico, o Brasil vem historicamente focando seus investimentos em hidrelétricas. Por conta disso, a energia hidráulica sempre foi e continua sendo a principal fonte da matriz energética do Brasil, representando atualmente mais de 60% do total, como mostra o gráfico abaixo:

o que é energia hidráulica

Fonte: Hud, plataforma de comunicação e gestão de energia exclusiva para clientes Esfera.

O gráfico é perfeito para demonstrar o quanto esse tipo de energia é imprescindível para o sistema elétrico nacional. Embora sua participação na matriz tenha diminuído ao longo dos anos (já chegou a 90%), a hidráulica ainda é a energia que move o Brasil.

Qual a importância da energia hidráulica?

A importância da energia hidráulica é explicada pelo fato de ser uma fonte de eletricidade segura. Além disso, por conseguirem alterar rapidamente sua capacidade de geração, por meio do aumento da vazão de água que passa pelas turbinas, as hidrelétricas conseguem atender picos de consumo mais rápido que outras fontes.

Outro diferencial da energia hidráulica é que se trata de uma fonte limpa e renovável. Afinal de contas, não emite gases do efeito estufa e a água é um recurso que ainda é constantemente reposto pela natureza.

Esse fator é extremamente importante quando se leva em consideração que a matriz energética mundial ainda é composta majoritariamente por fontes não renováveis. Isso quer dizer que combustíveis fósseis, cuja queima gera gases poluentes nocivos ao meio ambiente, ainda abastecem a maioria de lares e indústrias do planeta.

Apesar de a energia hidráulica ser limpa, as usinas hidrelétricas causam uma série de impactos ambientais e sociais que detalharemos mais à frente. Antes disso, vamos lembrar outros tipos de energia menos problemáticas para o nosso planeta.

Quais são os tipos de energia limpa?

Energia limpa é toda aquela gerada através de fontes renováveis e sem a emissão de poluentes ou maiores impactos ao meio ambiente. Além da hidráulica, os outros tipos de energia limpa são:

  • Eólica
  • Solar
  • Maremotriz
  • Biomassa

Vale destacar que mesmo essas energias causam repercussões na natureza, mas normalmente essas ocorrem apenas no local em que são produzidas e são controladas. No caso da energia hidráulica, você entenderá melhor como ela é gerada no próximo tópico.

Como funciona a energia hidráulica?

A energia hidráulica é gerada por meio de uma série de processos naturais, como a evaporação, a condensação e a precipitação das águas. Todos esses eventos acontecem sem a interferência do homem, influenciados apenas por fatores como a irradiação solar e a energia gravitacional.

Por outro lado, para ser transformada em eletricidade, a energia hidráulica precisa antes ser convertida em energia cinética. E é nesse momento que a ação humana se faz necessária por meio da construção das usinas hidrelétricas.

Para entender melhor a transformação da energia hidráulica em elétrica, vamos conferir um exemplo prático. No caso, o funcionamento da líder mundial em produção de energia limpa e renovável: a Itaipu Binacional.

Na usina, que se alimenta de um lago de 1.350 km², a água é captada e conduzida por dutos coletores até a turbina, dispositivo responsável pela conversão de energia. Essa turbina nada mais é que uma roda dotada de pás que é ativada com a chegada da água.

Essas pás estão conectadas ao eixo de um gerador, que finalmente transformará a energia cinética do movimento de rotação da turbina em energia elétrica. Após provocar esse movimento, a água volta ao seu leito natural pelo canal de fuga.

O vídeo abaixo, do canal Nossa Ecologia, detalha ainda mais o processo de transformação da energia hidráulica em eletricidade nas usinas hidrelétricas:

Vantagens e desvantagens da energia hidráulica

Agora que já vimos o que é e como é gerada a energia hidráulica, vamos nos focar nos prós e contras da principal fonte de energia elétrica dos brasileiros. Como citamos anteriormente, a principal vantagem é o fato de ser limpa e renovável.

Além disso, entre seus pontos positivos, podemos destacar que o custo de produção para transformá-la em energia elétrica é baixo. Apesar de ser caro construir uma usina hidrelétrica, depois que ela entra em operação a energia hídrica se torna uma fonte barata de eletricidade e esse preço mais baixo chega até o consumidor final.

Outra vantagem da energia hidráulica é que ela não produz dióxido de carbono e outros gases do efeito estufa, ao contrário de outros tipos, como termelétrica. Isso não quer dizer, no entanto, que elas não causem efeitos nocivos ao meio ambiente, ainda que indiretamente.

Embora a energia hidráulica seja limpa, a construção das hidrelétricas costuma prejudicar a flora e a fauna das áreas alagadas. Entre as principais desvantagens podemos destacar o desmatamento, mudanças climáticas e a alteração do curso e do nível natural dos rios.

Outro ponto negativo é que, em períodos de seca, a produção energética cai e aumenta o preço pago pelo consumidor final. Isso sem falar nos transtornos causados às populações locais que muitas vezes precisam ser realocadas para a construção da usina.

A energia hidráulica no Mercado Livre de Energia

No início do post vimos que a matriz energética brasileira é extremamente dependente da energia hidráulica. E, apesar de ser mais barata que outras fontes energéticas, essa dependência acaba sendo um dos riscos do Mercado Livre de Energia.

Sua geração depende da ocorrência de chuvas e é essencial entender os impactos dos reservatórios no preço da energia. Quando a previsão indica períodos maiores de seca, o Operador Nacional do Sistema (ONS) pode autorizar o despacho de usinas térmicas e reduzir a geração hidráulica para salvar as reservas.

Esses despachos afetam os bolsos de todos os consumidores, sejam cativos ou livres. Os primeiros sentem o efeito por meio das chamadas bandeiras tarifárias, enquanto no Mercado Livre de Energia o impacto vem no valor do PLD (Preço da Liquidação das Diferenças) e pode chegar também na cobrança de encargos para segurança do sistema.

No Mercado de Curto Prazo (MCP) é possível que o PLD apresente valores superiores aos das contratações de longo prazo. A boa notícia é que no Mercado Livre de Energia é possível evitar essas variações causadas pela imprevisibilidade das chuvas desde que se realize uma gestão de energia elétrica com eficiência.

Se no planejamento estratégico da sua empresa ainda faltam estratégias inteligentes para usar na hora da contratação de energia, você vai gostar de conhecer a Esfera, referência nacional em gestão no Mercado Livre de Energia.

Converse agora com um dos nossos especialistas para saber como economizar até 35% da conta de luz e terceirizar toda a operação de energia elétrica da sua empresa!

Saiba tudo sobre o Mercado Livre de Energia