Novidades do setor de energia

indicadores de produção industrial

Indicadores de produção industrial: 7 métricas indispensáveis para uma gestão mais qualificada e com base em dados concretos

Para garantir a melhoria contínua dos processos de produção industrial, com redução de custos e mantendo a qualidade final das entregas, é indispensável fazer uso de indicadores de desempenho (KPIs).

Basicamente, essas ferramentas servem para mensurar, quantitativa e qualitativamente, diferentes aspectos de uma indústria.

A partir disso, consegue-se tomar decisões estratégicas com maior segurança e assertividade, pois elas passam a ser fundamentadas em dados concretos.

Os KPIs para indústrias podem melhorar a qualidade da gestão, permitindo identificar se o desempenho da produção está em conformidade com o que era esperado.

E, caso não estejam, procura-se descobrir maneiras de melhorar o processo, otimizando as atividades em busca de mais eficiência e produtividade.

Os indicadores de produção industrial permitem fazer um monitoramento mais eficaz da linha de fabricação. Além disso, essas ferramentas contribuem para a redução de custos operacionais e otimização dos processos internos.

Pensando nisso, trouxemos aqui 7 KPIs para indústrias que você precisa conhecer. Nas próximas linhas deste conteúdo, você vai conferir quais indicadores de produção industrial utilizar na sua empresa e tornar suas operações mais eficientes:

  1. Eficácia Geral do Trabalho – OLE;
  2. Produtividade Homem / Hora;
  3. On Time In Full – OTIF;
  4. Tempo Médio para Reparo – MTTR;
  5. Tempo de Inatividade;
  6. Tempo Médio entre Falhas;
  7. Eficiência Global dos Equipamentos – OEE.

7 indicadores de produção industrial para usar no seu modelo de negócio

Indicadores de desempenho do setor de indústrias são ferramentas indispensáveis para mensurar e acompanhar a performance das operações fabris.

Os KPIs fornecem dados e informações valiosas, que vão orientar a maneira de conduzir o negócio e facilitar a identificação de soluções para problemas que a empresa possa vir a enfrentar.

Confira a seguir quais indicadores de produção industrial implementar na sua fábrica.

1 - Eficácia Geral do Trabalho - OLE

 A Eficácia Geral do Trabalho, ou OLE (Overall Labor Effectiveness) é um indicador que busca avaliar três variáveis do processo produtivo:

  • Disponibilidade: tempo em que os colaboradores ficaram disponíveis durante o expediente;
  • Desempenho: quanto os colaboradores conseguiram produzir durante o expediente;
  • Qualidade: quanto do que foi produzido está em perfeitas condições para a venda.

Multiplique essas três variáveis e você obterá o resultado o OLE.

2 - Produtividade Homem / Hora

O segundo indicador da nossa lista de KPIs para indústrias busca mensurar quanto cada colaborador é capaz de produzir por hora trabalhada.

Para fazer o cálculo, basta dividir o total de peças produzidas pelo total de horas trabalhadas.

Você pode comparar esse resultado entre máquinas, entre turnos e até individualmente entre os colaboradores. Também pode comparar com a produtividade geral do mercado em que atua para saber se sua empresa está competitiva no setor.

3 - On Time In Full - OTIF

O On Time In Full (OTIF) é um KPI que mostra a eficiência das entregas. Uma produção industrial eficiente precisa ser capaz de entregar os produtos completos (in full) dentro do prazo previamente estabelecido (on time).

O cálculo é feito multiplicando o percentual de entregas on time pelo percentual de entregas in full.

Hoje, com os mercados virtuais mais do que consolidados e até em ascensão, é cada vez mais importante monitorar suas entregas para satisfazer clientes cada vez mais exigentes com esses prazos.

4 - Tempo Médio para Reparo - MTTR

Esse indicador é mais voltado para a área de manutenção da fábrica. O Tempo Médio para Reparo, ou MTTR (Mean Time To Repair) calculo quanto tempo costuma-se levar, em média, para corrigir as falhas do processo produtivo.

Para calcular o MTTR, divida o tempo total gasto na correção de falhas pelo total de falhas corrigidas.

5 - Tempo de Inatividade

Outra métrica relacionada à área de manutenção do processo industrial é o Tempo de Inatividade. O objetivo desse KPI é mensurar quanto tempo os equipamentos da fábrica ficaram sem funcionar.

Ele pode ser analisado em conjunto com o indicador de desempenho industrial anterior, o Tempo Médio para Reparo, pois estão intimamente ligados.

Afinal, se uma máquina demora muito para ser reparada, isso significa que o tempo de inatividade do processo industrial será maior.

6 - Tempo Médio entre Falhas

O Tempo Médio entre Falhas, ou MTBF (Mean Time Between Failures) mede a frequência em que os equipamentos da produção industrial precisam passar por manutenção. 

Some o tempo total entre cada falha e depois divida pelo total de falhas. Quanto maior for o Tempo Médio entre Falhas, melhor será o desempenho da indústria.

7 - Eficiência Global dos Equipamentos - OEE

Se o OLE mede a eficiência dos trabalhadores da fábrica, o OEE (Overall Equipment Effectiveness) se dedica a mensurar a eficiência das máquinas e equipamentos do processo produtivo.

Os três fatores analisados continuam sendo os mesmos:

  • Qualidade: equipamentos em perfeito estado;
  • Produtividade: quanto cada máquina tem conseguido produzir;
  • Disponibilidade: tempo dedicado à produção.

Multiplique o percentual de cada fator e encontre o resultado do OEE.

Você sabe como gerenciar indicadores? Agora que você já conhece vários deles, fundamentais para uma indústria, veja dicas de como gerenciá-los neste vídeo:

Bom, esses são os 7 principais indicadores de produção industrial. Ficou claro como utilizar cada um deles?

Implemente essas métricas no seu modelo de negócio e promova uma gestão mais qualificada e com base em dados concretos. Assim, seu processo produtivo será bem mais eficiente.

Este post foi escrito pela equipe da Siteware, uma empresa que une pessoas, operação e estratégia em um único software, para que as empresas melhorem seus resultados, sua comunicação e sua governança.

Saiba tudo sobre o Mercado Livre de Energia